quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Cromo n.º 31 - Martin Vasquez



Aposto que este elegante jogador ao ver o seu Real jogar ontem (cada vez que defrotna o Barça o mourinho torna-se numa mash-up de Queirós com Faquirá) até metia um bigode postiço para passar despercebido na rua.

6 comentários:

  1. Sinceramente, este é daqueles jogadores que acho que nunca existiram. É um Mitó (Vítor) Urbano de certeza. Mas alguma vez um gajo com pinta de artista de novelas Venezuelanas poderia ter sido jogador? E dos bons, ainda por cima? Não, não pode.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E que jogadorzaço era... um pré-laudrup, de branco...

      Eliminar
  2. O Vazquez tenho uma idéiazita... :)
    Mas o Vítor, embora não seja um mito, é urbano! E lá está em Moçambique, por mérito próprio, a fazer um trabalho de qualidade que já lhe mereceu a renovação. Sem pertencer a lobbies!

    ResponderEliminar
  3. Grande Vítor Urbano, 4 anos magníficos como treinador do Beira-Mar, treinou talvez os melhores plantéis da história do clube... foi pena o regresso fracassado - à Toni - em 96/97, em tempos muito complicados para o clube. Foi substituído por outra lenda, de nome António Sousa.
    Depois destacaria também a salvação do Olhanense da III Divisão em 2002.

    AG

    ResponderEliminar
  4. Salvou o Olhanense? Sim... cof, cof... era ele que estava no banco... logo te conto um dia umas peripécias dessa altura em que Joao Gomes ainda era presidente da AFA...

    E por falar em moçambola, quem pra lá vai também é o Diamante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era ele que estava no banco mas também já li o que escreveste sobre que ele ajudou a salvar o Olhanense. Fàcilmente comprovável, cof cof.

      Eliminar